Passar no sinal amarelo é infração de trânsito? Dá multa?

independente do tempo de carteira que cada um tem, diga lá quem é que não ficou com essa dúvida um dia? O motorista vem trafegando por uma via que tem semáforo e “de repente” fica amarelo. E agora? Passo ou não passo? Será que vai dar tempo? E se tiver um guarda olhando eu levo multa? Acelero e corro o risco de passar no vermelho ou freio e corro o risco do motorista de trás bater na traseira? Bem condutores, vamos às explicações por partes para vocês entenderem que não é tão difícil assim se sair com segurança de uma situação dessas.
O SEMÁFORO NÃO FICA AMARELO “DE REPENTE”
Primeiro fato:o sinal não fica amarelo “de repente” como muitos motoristas tentam justificar. Os semáforos tem temporizador, um dispositivo eletrônico que controla o tempo para a mudança das cores. Ora, digamos que vem você trafegando numa via e vê de longe que o sinal está verde. Naturalmente, ele vai ficar amarelo por alguns segundos até que mude para o sinal vermelho. Então já existe a presunção de que o sinal irá ficar amarelo depois do verde, o que exige mais atenção do motorista.
O QUE FAZER QUANDO AVISTAR O SEMÁFORO NO VERDE
Acabei de avistar o semáforo e ele está verde. O que eu faço? Passo logo de cara? manda o bom senso e a direção defensiva que tenha-se cautela. Se você não viu o semáforo mudar de vermelho para verde, é lógico que já estava verde antes de você passar, e como você não sabe há quanto tempo o sinal está verde, o melhor nesses casos é ir se aproximando do semáforo, tirar o pé do acelerador, não pisar em nenhum pedal do carro (nenhum mesmo) e usar o freio motor. Ou seja, deixar que o carro vá perdendo aceleração aos poucos. Isso se o carro de trás estiver respeitando a distância de segurança. O segundo passo é verificar no velocímetro quanta velocidade você perdeu tirando o pé do acelerador e conferir se está na velocidade certa para a marcha. Por exemplo, se você vinha de 4ª marcha a uns 50km/h e nessa de usar o freio motor a velocidade caiu para 40 ou 45km/h, o ideal é baixar para 3ª marcha, recuperar a velocidade e depois engrenar a 4ª de novo. Se rodar com baixa velocidade em marcha mais alta o carro vai ficar pesadão, você vai acelerar, pisar fundo no pedal e o carro não vai responder, além de ficar beberrão.
Tá, mas e se na hora em que eu estiver passando no sinal verde sem saber quando ele abriu e o motorista de trás estiver colado na traseira, o que fazer? Use a direção defensiva e na hora em que estiver se aproximando do semáforo apenas dê um toquinho de alerta no freio. Basta encostar o pé no pedal que as luzes de freio já acendem e o motorista de trás vai entender que você pode parar o carro caso o sinal do semáforo fique amarelo.
Aliás, pessoal, essa é a melhor defesa de todo motorista que trafega na frente de outro carro para evitar colisões traseiras: se perceber que o motorista de trás está muito colado só encoste o pé no freio que as luzes vão acender e o cara de trás vai se tocar e se afastar. Se ele insistir mesmo assim, ligue o pisca-alerta por alguns segundos que daí o bicho some de trás de você pensando que o carro está com problemas. Mas é só por alguns segundos, pois o pisca-alerta só pode ser usado com o carro parado e em situações de emergência (para avisar os outros motoristas que tem acidente mais a frente).
Se ao se aproximar do sinal verde sem ter certeza que vai ficar amarelo e correndo o risco de ficar amarelo quando você passar, se estiver em baixa velocidade vai dar tempo tranquilo de parar o carro sem sufoco, sem ficar na dúvida se acelera ou não e sem o risco de acidentes caso passe no vermelho.
PASSAR NO SINAL AMARELO É INFRAÇÃO? DÁ MULTA?
Lembram das aulas de teórica, condutores? Aquelas aulas em que os instrutores explicavam que vermelho é obrigação e amarelo é atenção? E que por este motivo é que toda placa vermelha é de obrigatoriedade e toda placa amarela é de advertência?
Na verdade, a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, o nosso Código de Trânsito Brasileiro, em nenhum de seus artigos menciona a luz amarela do semáforo, só a verde e para isso estabelece a infração gravíssima, 7 pontos na CNH e R$ 191,54 de multa. Mas o amarelo não. A única legislação complementar de trânsito que menciona o sinal amarelo é a Resolução nº 160/2004, que no item 4.1.2, sobre as cores das indicações luminosas do semáforo, item b) sobre o controle do fluxo de veículos dispõe que a cor AMARELA “indica atenção, devendo o condutor parar o veículo, salvo se isto resultar em situação de perigo.
Então vamos interpretar essa recomendação da Resolução nº 160: me digam, condutores, qual seria a situação de perigo a que está exposto todo motorista ao passar pelo semáforo no sinal amarelo? O motorista que vem atrás bater na sua traseira, não é mesmo? Mas vejam que isto não é artigo do CTB, que o CTB não diz nada sobre a cor amarela do semáforo, portanto, passar no sinal amarelo não é infração de trânsito, o que também significa que o motorista não está livre de uma multa caso passe no amarelo e o sinal fique verde. Daí não adianta fazer recurso de multa para a Junta Administrativa de Recursos de Infração (JARI) dizendo que passou no amarelo e ficou vermelho de repente que a resposta que você vai receber é a seguinte:
1. É dever de todo motorista conhecer a legislação e a sinalização de trânsito;
2. É dever de todo motorista ter atenção ao identificar a mensagem do sinal amarelo;
3. Todo motorista deve saber que depois do amarelo fica de que cor? VER-ME-LHO!
Sacaram, meus condutores defensivos? As JARI´s tem entendido, indeferido e explicado aos motoristas acusados de infração que o amarelo é sinal de atenção e que com ele vem a presunção de que o sinal vai ficar vermelho em segundos, e que o motorista já sabia disso quando assumiu o risco de passar no amarelo. Abaixo coloco uma jurisprudência, ou seja, a decisão dos juízes sobre o julgamento de um acidente de trânsito em que o motorista passou no sinal amarelo, que ficou vermelho e causou um acidente. O juiz não aceitou a “desculpa” de que passou no amarelo porque o carro de trás ia bater e provocar uma colisão traseira.
Fonte http://blogaprendendoadirigir.blogspot.com

Primeiro passo para dominar o carro: domine a embreagem

Condutores,
tava aqui lembrando de minhas dificuldades nas aulas de direção e cheguei a conclusão que no começo a maioria dos alunos de autoescola assim como a maioria dos habilitados que não dirigem tem a impressão de que o carro é um cavalo chucro que precisa ser domado. Parece que o carro tem vida própria, que vai sair disparado com a gente dentro ou que não vai obedecer aos nossos comandos.
Prá falar a verdade, é daí que vem grande parte de nossa ansiedade e inseguranças na fase de aprendizagem e na fase de começar a adquirir prática de direção: a falta de controle dos pedais do carro.
Pensem bem: um carro popular pesa em média 1,5 toneladas e o motorista, independente do peso, da altura ou da força domina esse pesadão só com os pedais. Portanto, dominar a pisada no pedal de embreagem achando o ponto ideal é o segredo, a manha, a estratégia para dominar o carro e as inseguranças e medos de principiante.
Isso porque a partir do momento em que dominarmos os pedais do carro ele passa a nos obedecer e a comer na nossa mão: não morre mais quando vamos parar o carro, não morre mais nas saídas, nos semáforos, não morre mais nos cruzamentos, aprendemos a reduzir com tranquilidade e com aquela certeza de que o carro vai nos obedecer em qualquer situação.
Dominar a pisada nos pedais do carro nos dá a segurança necessário, inclusive emocional, para continuarmos a avançar no domínio dos outros comandos, principalmente na aprendizagem da ladeira ou rampa. Uma coisa que todo motorista em formação ou já habilitado tem que entender é que na autoescola tudo é muito rápido: temos de aprender depressa, a aprendizagem ainda é superficial, não tem como aprofundar, pois o aprofundamento das aprendizagens para dirigir depende dos treinos, do quanto a gente se empenha, se esforça para treinar e aperfeiçoar.
Querer que um aluno saia da autoescola sabendo tudo é acreditar numa coisa que não existe: conhecimento acabado, concluído, pronto, do tipo “aprendeu tudo que tinha para aprender” e isso não é verdade, não existe. Vejam um médico que se forma: ele passa 6 anos na faculdade, depois mais 2 fazendo residência, depois se escolhe uma especialidade tem de estudar mais alguns anos aquela especialidade.
Nos formamos na faculdade e se nós não continuarmos com as pós-graduações, com as especializações, se não continuarmos nos atualizando e estudando não vamos conhecer com profundidade a nossa área. Pois é, dirigir é a mesma coisa: sai da autoescola tem que continuar aperfeiçoando as técnicas de dirigir, os fundamentos, as técnicas de direção defensiva.
Uma coisa é certa: se você quer mesmo dirigir tem que aprender logo de cara a dominar os pedais do carro, principalmente a embreagem, pois ela é a base de tudo. Por mais que muita gente pense que sabe dirigir porque sabe fazer o carro andar em linha reta, uma hora ele vai ter de parar esse carro, dominar esse carro com baixa velocidade, manobrar, fazer conversões e aplicar uma série de comandos que não treinou. E aí como fica?
Quer ver seu medo ir embora? domine a meia embreagem, a base de tudo.
Quer acabar com o sofrimento, com a insegurança, com a angústia e se sair cada dia melhorno ato de aprender a dirigir? domine a meia embreagem, a parada e a saída com o carro, domine comando de rampa e ladeira, domine o monstro-mestre e os demais monstrinhos ficarão sem líder.
Bons treinos, dominem a embreagem e comece a dominar seus medos e inseguranças.
Fonte http://blogaprendendoadirigir.blogspot.com

8 dicas sobre direção consciente e sustentável

Segundo pesquisas realizadas ao redor do mundo, 30% das causas dos acidentes no trânsito estão relacionadas a problemas mecânicos, 6% a problemas nas vias e 64% a problemas do condutor. Os dados da pesquisa fazem parte do manual de direção defensiva do DETRAN-SP.

Selecionamos alguns itens de segurança, direção defensiva e comportamentos que poderão auxiliar você a dirigir de maneira mais consciente:

1. Dirija o veículo com a rotação do motor entre 1500 e 3500 RPM, considerada “faixa verde”, pois o veículo consome menos combustível;

2. Utilize o freio motor, redução das marchas ao frear, para evitar o desgaste excessivo das pastilhas de freio e o envio de poluentes ao meio ambiente nas freadas bruscas;

3. Abasteça em postos conhecidos para evitar o combustível adulterado, pois ele altera o desempenho do motor, aumenta seu consumo e reduz a sua vida útil;

4. Faça a manutenção periódica, como troca de óleo do motor, filtros de ar, óleo e do combustível;

5. Dirija de forma preventiva. Evite se distrair com o celular, músicas e sempre mantenha uma distância segura em relação ao veículo que está à sua frente;

6. Planeje seu roteiro com o auxílio de aplicativos: é possível evitar rotas com altos índices de congestionamentos em tempo real;

7. Mantenha os pneus calibrados, o que evita o seu desgaste prematuro e o consumo excessivo de combustível;

8. Utilize meios de transporte coletivo ou divida o trajeto com os colegas: isso reduz o número de carros nas ruas e, consequentemente, o trânsito e a poluição.

Adotadas em conjunto, essas medidas poderão evitar acidentes, os desperdícios e ajudar o meio ambiente.

Auto Escola em Duque de Caxias, Auto Escola no Lote XV